| 

PÓRTICO MITIGAÇÃO MICROBIOLÓGICA OZÔNIO NEBULIZADO CUSTOMIZADO

Home / Pórtico / PÓRTICO MITIGAÇÃO MICROBIOLÓGICA OZÔNIO NEBULIZADO CUSTOMIZADO


Descrição


PÓRTICO MITIGAÇÃO MICROBIOLÓGICA OZÔNIO NEBULIZADO CUSTOMIZADO 

DESCRIÇÃO:

PÓRTICO DE COLUNAS E TRAVAS EM ALUMÍNIO COM REVESTIMENTO EM PS ADESIVADO
•GERADOR DE OZÔNIO NASCENTE COM COMPRESSOR
•RESERVATÓRIO DE ÁGUA 60lts
•BOMBA SHURFLO 12V C/ REGULADOR PRESSÃO E MANÔMETRO
•VALVULA REGUL PRESS VERMELHO C/ MANÔMETRO
•NIPLE MACHO 3/8 X 1/2
•CONECTOR FIXO RETO 3/8 x 1/2
•PAINEL DE COMANDO C/ SENSOR INFRAVERMELHO  
•SISTEMA DE NEBULIZAÇÃO
•06 BICOS
•15 PORCAS
•06 TEE PORTA BICO
•01 TEE DERIVAÇÃO
•02 CAPS
•MANGUEIRA (7m) 

CONCEITO SOBRE O EFEITO DE MITIGAÇÃO DA CABINE

Trata-se de Nebulização de Água Ozonizada.

O Ozônio é a molécula de O3, um poderoso oxidante natural gerado através do oxigênio, sem a necessidade de algum tipo de insumo recorrente para sua geração.

Nosso equipamento concentra o ozônio na água, ou seja, nebuliza o ozônio aquoso sobre as pessoas, no seu nível máximo  e permitido pele NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES ANEXO N.º 11, fornecendo assim de forma simples e segura a mitigação sobre superfícies humanas e inanimadas.

Utilizamos a água como agente condutor do ozônio para mitigação biológica e germicida.

Diversos estudos mostram que o ozônio oxida o vírus, bactérias, fungos e protozoários. No caso dos vírus, deixando-os inativos, dependendo do tempo e concentração de contato.

As gotículas continuam agindo por um período, mesmo após a saída do túnel/cabine.

O tempo de permanência dentro do túnel/cabine recebendo a nebulização é entre 15 segundos, depende da concentração e o tamanho do túnel/cabine, após este tempo a solução de ozônio aquoso permanece agindo até voltar ao seu estado natural de oxigênio, de forma segura, sem causar nenhum tipo de desconforto ou mal estar, pois utilizamos a dosagem ideal, respeitando todos os parâmetros legais, de normativas, portarias e resoluções.

É o método mais seguro e natural de mitigação microbiológica em humanos, sem “nada” de residual químico.

IMPORTANTE

A finalidade deste sistema, é evitar que os agentes carregadores, as pessoas e os objetos pessoais, levem os vírus que possam estar contidos em suas superfícies, para dentro de outros ambientes, diminuindo assim a curva de contágio dos vírus e outros micro-organismos.

“O OZÔNIO NÃO TRATA A DOENÇA, NESTE CASO EM ESPECÍFICO, MITIGA A DISSEMINAÇÃO DE MICRO-ORGANISMOS.”  

O sistema do túnel/cabine de mitigação é aplicado para matar micro-organismos em qualquer área potencialmente contaminada. Portanto, pode ser usado em locais que exigem mitigação microbiológica como, entradas e saídas de condomínios, estações e terminais de trem, metrô e ônibus, supermercados, shoppings, hospitais, indústrias, centros comerciais, empresas manufatureiras com requisitos de limpeza, como processamento de alimentos e produtos farmacêuticos.

Além de poder proporcionar o mínimo de bem estar aos trabalhadores que mesmo em época de quarentena tem que se expor em locais com muitas aglomerações para servir a aqueles que podem seguir a quarentena em casa.

Lembramos que esse processo não anula e nem deve ser dado como incentivo para relaxamento das práticas de distanciamento social, de lavagem das mãos frequente com água e sabonete, de desinfecção de superfícies e outras medidas de prevenção.

Por isso, a recomendação de medidas de higiene pessoal e etiqueta respiratória devem
prevalecer para evitar a disseminação do vírus. Além disso, lavar as roupas depois de usadas é suficiente

EMBASAMENTO E ARTIGOS CIENTÍFICOS QUE FUNDAMENTAM A MITIGAÇÃO GERMICIDA, MICROBIANA, ATRAVÉS DO GÁS DE OZÔNIO NO AR, EM SUPERFÍCIES E, CONCENTRADO EM ÁGUA.

Para estar seguro, como ainda não sabemos por quanto tempo esses coronavírus podem sobreviver em superfícies, é melhor desinfetar áreas que têm muito contato com pessoas, que estejam ou não mostrando sinais de infecção.
Uma boa maneira de fazer isso é implantar o gás ozônio.
Foi comprovado que o gás ozônio mata o coronavírus SARS e como a estrutura do novo coronavírus COVID-2019 é quase idêntica à do coronavírus SARS , é relativamente seguro dizer que também funcionará no novo coronavírus, embora seja necessário observar que não há estudos até o momento, exceto um que está atualmente em andamento na China, no Instituto de Virologia de Hubei, conforme  publicado oficialmente na revista Virology. 
http://english.whiov.cas.cn/Research2016/Research_Progress2016/     
Existem mais de 17 estudos científicos que mostram que o gás ozônio é capaz de destruir o coronavírus SARS.
O ozônio é um gás natural criado a partir de átomos de oxigênio. A molécula de oxigênio é composta por 2 átomos de oxigênio. Essas moléculas de oxigênio são quebradas em átomos pela descarga corona durante tempestades com raios ou pela luz UV do sol. Átomos de oxigênio únicos não podem existir sozinhos sem se reagrupar em moléculas de oxigênio diatômicas. Durante esse estágio de recombinação, alguns átomos se reagrupam em oxigênio tri atômico frouxamente ligado. Essa nova molécula é chamada ozônio ou O³.
Os geradores de ozônio são capazes de produzir ozônio a partir do ar que respiramos e normalmente são usados como desinfetantes do ambiente.
Os efeitos anti patogênicos do ozônio são substanciados há várias décadas. Sua ação matadora, oxidante, sobre bactérias, vírus, fungos e em muitas espécies de protozoários serve de base para seu crescente uso na desinfecção do suprimento municipal de água nas cidades do mundo.
Normalmente, os vírus são pequenas partículas independentes, construídas com cristais e macromoléculas. Ao contrário das bactérias, elas se multiplicam apenas dentro da célula hospedeira. O ozônio destrói vírus, difundindo-se através do revestimento proteico para o núcleo do ácido nucleico, resultando em danos ao RNA viral. Em concentrações mais altas, o ozônio destrói o capsídeo ou a casca proteica externa por oxidação.
A maioria dos esforços de pesquisa sobre os efeitos do ozônio sobre a oxidação de vírus concentrou-se na propensão do ozônio em separar moléculas lipídicas em locais de configuração de múltiplas ligações. De fato, uma vez que o envelope lipídico do vírus é fragmentado, seu núcleo de DNA ou RNA não pode sobreviver.
Vírus não envelopados (Adenoviridae, Picornaviridae, a saber, poliovírus, Coxsachie, Echovirus, Rinovírus, Hepatite A e E e Reoviridae (Rotavírus)) também começaram a ser estudados. Os vírus que não possuem envelope são chamados de "vírus nus". Eles são constituídos por um núcleo de ácido nucleico (feito de DNA ou RNA) e um revestimento de ácido nucleico, ou capsídeo, feito de proteína. No entanto, além da ação bem reconhecida sobre lipídios insaturados, o ozônio também pode interagir com certas proteínas e de fato, quando o ozônio entra em contato com as proteínas do capsídeo, formam-se hidróxidos proteicos e hidróxidos proteicos e hidroperóxidos proteicos. Os vírus não têm proteção contra o estresse oxidativo.
Os vírus envolvidos geralmente são mais sensíveis aos desafios físico-químicos do que os vírus nus. Embora os efeitos do ozônio sobre lipídios insaturados sejam uma de suas ações bioquímicas mais bem documentadas, sabe-se que o ozônio interage com proteínas, carboidratos e ácidos nucléicos.
O novo coronavírus é um vírus envelopado.

Referências:
Gérard V. Sunnen, SARS e ozonioterapia: considerações teóricas,
http://www.triroc.com/sunnen/topics/sars.html  (2003)   
Ozonioterapia: Uma revisão clínica
A. M. Elvis e  JS Ekta
J Nat Sci Biol Med. janeiro-junho de 2011; 2 (1): 66-70.
doi:  10.4103 / 0976-9668.82319
SARS: LIMPAR O AR
Jerome J. Schentag, Pharm. D., Charles Akers, Ph.D., Pamela Campagna e Paul Chirayath.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK92445/  
Desenvolvimento de um método prático para usar o gás ozônio como agente de descontaminação de vírus.
James B. Hudson , Manju Sharma  e Selvarani Vimalanathan
Páginas 216-223 | Recebido em 30 de junho de 2008, aceito em 26 de novembro de 2008, publicado on-line: 27 de maio de 2009, https://doi.org/10.1080/01919510902747969  
http://www.unesc.net/portal/aicom/blog/47908-tecnologia-do-ozonio-estudada-na-unesc-sera-utilizada-no-combate-a-covid-19  
https://en.hust.edu.vn/display-newswire/-/asset_publisher/sum9Zls6uqmE/content/the-first-mobile-disinfection-chamber-in-vietnam  
http://www.china.org.cn/opinion/2020-02/26/content_75747237_4.htm  
https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/01919510902747969 
https://www.prpchannel.com/zh-CN/%E8%87%AD%E6%B0%A7%E6%89%93%E8%B4%A5%E5%86%A0%E7%8A%B6%E7%97%85%E6%AF%92/